Zimbábue sedia cúpula para discutir gerenciamento de elefantes e conservação da vida selvagem

Conferência Mundial de Desenvolvedores da Apple começará no início de junho
Rússia continuará operação militar especial na Ucrânia até que todas metas sejam cumpridas, diz ministro da Defesa

Zimbábue sedia cúpula para discutir gerenciamento de elefantes e conservação da vida selvagem

Manada de elefantes no Parque Nacional de Huange, na província de Matabeleland Norte, no noroeste do Zimbábue, no dia 3 de outubro de 2017. (Xinhua/Chen Yaqin)

Huange, Zimbábue – Uma cúpula sobre elefantes começou na segunda-feira no Parque Nacional de Huange, no Zimbábue, enquanto os países participantes buscam chegar a um consenso sobre o gerenciamento de elefantes e a conservação da vida selvagem.

A cúpula, que acontecerá até 26 de maio, será uma plataforma para discutir o aumento da crescente superpopulação de elefantes e o impacto da proibição existente no comércio internacional de marfim.

Além disso, os países participantes querem chegar a uma posição comum em relação ao gerenciamento de elefantes antes da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Silvestres Ameaçadas de Extinção (CITES) da 19ª Conferência das Partes (COP 19) em novembro no Panamá.

Países ocidentais e ativistas dos direitos dos animais têm se oposto ao comércio de marfim argumentando que o aumento da caça ilegal está ameaçando a sobrevivência dos elefantes africanos.

Os conservacionistas do Zimbábue, no entanto, continuam argumentando que a venda dos estoques de marfim do país, agora estimados em 600 milhões de dólares americanos, ajudará a financiar os esforços nacionais de conservação.

O Zimbábue, que tem a segunda maior manada depois de Botsuana, tem uma população de mais de 84.000 elefantes contra uma capacidade de carga de 40.000.

A superpopulação de elefantes tem sido responsabilizada pelo aumento do conflito entre humanos e animais selvagens, à medida que os animais se perdem nas comunidades em busca de comida e água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *