Região cafeeira da China melhora qualidade do grão e vida da população

Satélites chineses alcançam medição de órbita baixa de banda V
China pede que EUA cancelem venda proposta de armas para Taiwan

Região cafeeira da China melhora qualidade do grão e vida da população

Foto tirada em 22 de fevereiro de 2022 mostra um trabalhador assar grãos de café em uma fábrica de café na cidade de Pu'er, Província de Yunnan, sudoeste da China. (Xinhua/Chen Xinbo)

Kunming, 7 abr – Cento e trinta anos depois que a primeira semente de café chegou à cidade de Pu’er, Província de Yunnan, no sudoeste da China, a cidade está vendo melhorias na qualidade do grão e nos meios de subsistência locais.

Com a maior área de plantações de café – 668 mil mu (44.530 hectares) em 2021 – e a maior colheita de grãos de café na China, 46 mil toneladas, Pu’er possui um dos climas e geografias mais adequados para o plantio de café, e é conhecida como a “capital do café” da China.

No entanto, a plantação de café de Pu’er tem sido considerada ineficiente com baixa produtividade, situada na extremidade inferior da cadeia de suprimentos.

Para reduzir o efeito de preço das matérias-primas, Pu’er está de olho na melhoria da qualidade do grão, desenvolvendo cafés especiais.

Hua Runmei, cujos pais estavam entre os primeiros cafeicultores de sua aldeia, estava preocupada com a queda de rentabilidade causada pela volatilidade dos preços.

Depois de fazer a aula de café, Hua percebeu que, além do café lavado, o café processado com mel ou seco ao sol afetaria o sabor do grão e agregaria valor. Isso a encorajou a dar um passo à frente e fazer café especial.

Hua então incentivou seus companheiros aldeões a seguir o exemplo. Ela estabeleceu sua cafeicultura e agora opera cerca de mil mu da fazenda de café com outros cafeicultores.

O desenvolvimento de café orgânico especial ajudou sua aldeia a aumentar o preço do café para 60 yuans (US$ 9,4) por quilo.

“Esse preço ajudou a mudar a história de que um quilo de grãos de café era menos valioso que uma xícara de café”, disse Hua.

Para provar a qualidade de seus grãos, Hua os levou para várias exposições e competições de café desde então. Eles fornecem um local para os cafeicultores competirem e mostrarem seus grãos de café de alta qualidade.

Na competição de grão verde de 2021 da província, mais de 95% dos grãos no concurso foram classificados como café especial.

Pu’er está se preparando para criar um centro nacional de produção e processamento de café de alta qualidade adotando padrões internacionais.

A cidade conta hoje com cerca de 26.700 hectares de campos de café certificados por marcas de café de renome mundial, como Nestlé e Starbucks.

Como uma das primeiras empresas a montar sua fazenda de café em Pu’er, a Nestlé está agora promovendo grãos de café de alta qualidade de Yunnan para o mercado mais amplo, com a crescente demanda dos consumidores chineses.

“Mais de 70% dos nossos grãos eram exportados para o exterior, mas agora 70% deles são vendidos no mercado interno”, disse Zhang Xiong, vice-diretor do centro de desenvolvimento industrial de chá e café de Pu’er.

Acompanhando as novas oportunidades de mercado, o preço do café arábica na província aumentou para mais de 30 yuans por quilo. A renda individual dos agricultores com o plantio de café subiu para mais de 4 mil yuans em 2021, segundo dados divulgados pelo centro de desenvolvimento industrial.

A elevação dos preços também ajudou os agricultores locais a melhorar seus meios de subsistência em meio à vitalização rural do país.

A aldeia de Paliang, no distrito de Menglian de Pu’er, tem quase 1.200 hectares de fazendas de café. Os grãos de café colhidos aqui são vendidos para 54 usinas de processamento de café no local.

Em troca, essas usinas fornecem treinamento para os agricultores locais sobre cafeicultura e colheita, fazendo todos os esforços para aumentar a renda dos agricultores.

Na Nu, uma descendência da etnia Lahu em Paliang, vende suas frutas de café para uma cafeteira próxima chamada Mengliandaya. Ela ganhou mais de 40 mil yuans de sua fazenda de café até agora este ano.

“Na Nu é uma plantadora de café exemplar em sua aldeia”, disse Dong Yanmei, vice-chefe da Mengliandaya. “Quando cheguei à aldeia pela primeira vez, os aldeões administravam mal suas fazendas de café, e o rendimento por mu era baixo.”

Com treinamento e melhoria na cafeicultura, o distrito de Menglian tornou agora sua plantação de café de baixa qualidade em café especial. Todos os anos, a empresa paga mais de 5 milhões de yuans aos aldeões pelos grãos de café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *