Militares do Brasil e EUA realizarão adestramento conjunto em território brasileiro

Lira sobre o ICMS dos combustíveis: “Fizemos nossa parte e demos uma resposta ao Brasil”
Biodiversidade abre novas frentes de cooperação entre Brasil e China

Militares do Brasil e EUA realizarão adestramento conjunto em território brasileiro

Brasília — O governo do Brasil confirmou nesta quinta-feira a realização de um treinamento conjunto entre militares nacionais e dos Estados Unidos em território brasileiro de 28 de novembro a 18 de dezembro,

De acordo com o exército brasileiro, “o exercício de adestramento” tem como objetivo capacitar as tropas da 12ª Brigada de Infantaria Leve (aeromóvel), com sede em Caçapava, no interior de São Paulo.

Será a segunda experiência realizada através do chamado CORE (Combined Operations and Rotation Exercises em inglês, ou Exercícios Combinados de Operações e Rotação), iniciativa firmada em outubro de 2010 no âmbito da 35ª Conferência Bilateral de Estado Maior Brasil-EUA, para “aumentar a interoperabilidade entre os dois exércitos”.

Em nota divulgada nesta quinta-feira a Secretaria-Geral da Presidência da República informou que a organização e execução do exercício de adestramento das tropas são de inteira responsabilidade do Comando do Exército. E que o CORE se insere no contexto do acordo de cooperação bilateral em matéria de defesa que o Brasil e os Estados Unidos firmaram em abril de 2010 tendo sido promulgado em dezembro de 2015.

Previsto para se realizar anualmente até, pelo menos 2028, o treinamento conjunto aconteceu pela primeira vez entre janeiro e março deste ano em Fort Polk, no estado de Louisana. Já a segunda edição ocorrerá em um ponto entre as cidades de Resende (Rio de Janeiro) e Lorena (São Paulo), no Vale do Paraíba, conforme decreto presidencial publicado no Diário Oficial da União.

Assinado pelo presidente da República Jair Bolsonaro, o decreto autoriza o ingresso e a permanência temporária em território brasileiro de 240 militares norte-americanos que participarão do exercício.

Ainda segundo decreto, o contingente norte-americano poderá entrar no Brasil com armamentos, munições, acessórios, dispositivos óticos, sensores e equipamentos de comunicação que serão utilizados nas atividades conjuntas.

Os soldados norte-americanos que participarão da atividade integram uma subunidade da 101ª Divisão Aerotransportada, unidade especializada em participar de operações envolvendo a infiltração de paraquedistas em zonas críticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *