Jornalista comanda canal Radar China, voltado a discutir a relação sino-brasileira

Estudo aponta que 87% das importações são liberadas em menos de 7 dias
Revisão histórica da civilização do petróleo

Jornalista comanda canal Radar China, voltado a discutir a relação sino-brasileira

Foto: Radar China

O projeto da jornalista gaúcha Janaína Camara da Silveira Radar China ganha agora um canal no YouTube (www.youtube.com/c/radarchina) e já estreia com participações de luxo.

Na quinta-feira, dia 2 de julho, às 19h, uma live imperdível discute a nova arquitetura financeira internacional com o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BMDG), Sergio Suchodolski, em que serão discutidos temas relativos à participação brasileira no Novo Banco de Desenvolvimento (NDB) e no Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB). Assunto relevante e que pode significar acesso por parte do Brasil a uma diversificação de fontes de financiamento a projetos por aqui.

Na sextas-feira, às 16h, será a hora de debater as perspectivas de investimento chinês no Brasil para 2020 com o coordenador de Análise e Pesquisa do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC), Tulio Cariello, e o pesquisador associado da Universidade de Shanghai, Santiago Bustelo, que também integrou o CEBC, onde conduziu pesquisas sobre investimentos chineses no Brasil. O Conselho acompanha o tema desde 2007.

A primeira live do canal também está imperdível. O historiador Vinícius Wu e o professor de Direito Evandro Menezes de Carvalho, que desde 2012 pesquisa a China e coordena o Núcleo de Estudos Brasil-China da FGV Direito Rio, debateram sob mediação de Janaína a Sinofobia como estratégia política da extrema-direita (https://m.youtube.com/watch?v=zmVsvbm6yDg&t=32s).

Janaína Camara da Silveira viveu na China, em Beijing, de 2007 a 2013 e desde então dedica sua carreira à análise das relações sino-brasileiras. Atualmente, é também correspondente da agência de notícias Xinhua no Brasil. Em 2018, concluiu mestrado em Economia na Unisinos, onde também é formada em Jornalismo.

Acompanhe também o Radar China no Twitter: @radarchina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *