Iniciativa co-lançada pela China visa proteger melhor forças de paz da ONU

Guerra fria entre EUA e China não é inevitável, diz estudioso indiano
Xinjiang, na China, saúda visitantes estrangeiros imparciais, diz autoridade

Iniciativa co-lançada pela China visa proteger melhor forças de paz da ONU

Beijing, 1º mai (China) — O Ministério das Relações Exteriores da China anunciou na sexta-feira que o recente lançamento do mecanismo Grupo de Amigos sobre a Segurança dos Pacificadores da Organização das Nações Unidas (ONU) visa melhorar o desenvolvimento da capacidade e promover ainda mais a segurança das forças de paz.

O mecanismo é o primeiro do tipo a ser co-iniciado e co-presidido pela China.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, disse em uma coletiva de imprensa diária que as operações de manutenção da paz da ONU são uma ferramenta importante para manter a paz e a segurança internacionais e que as forças de paz são ativos valiosos para a paz internacional.

Nos últimos 70 anos, mais de 3 mil pacificadores de mais de 120 países perderam suas vidas, lembrou Wang. É triste ver que, até agora este ano, 49 pacificadores sacrificaram suas vidas pela causa da manutenção da paz, acrescentou.

Observando que a China é o segundo maior contribuinte para o orçamento de manutenção da paz da ONU e um dos principais contribuintes das tropas para missões de paz, Wang disse que a China tem priorizado a segurança dos pacificadores.

A China iniciou conjuntamente o Grupo de Amigos com 49 países e organizações regionais, incluindo membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, grandes países e principais contribuintes de tropas, polícia e financiamento para operações de manutenção da paz, segundo o porta-voz.

“Isso visa fornecer uma plataforma para melhorar as trocas de informações, a coordenação de políticas e o desenvolvimento de capacidades, melhorar ainda mais a segurança dos pacificadores e garantir um progresso substantivo na agenda de segurança deles”, acrescentou.

“O grupo está aberto a todos e os demais Estados-membros são livres para entrar em contato conosco se quiserem aderir ao mecanismo”, disse Wang. “Vamos fazer esforços conjuntos e persistentes para proteger os pacificadores.”

Como este ano marca o 50º aniversário da restauração dos direitos legítimos da China na ONU, Wang disse que a China está pronta para defender firmemente o multilateralismo e aprofundar a cooperação com a entidade, e contribuir mais para a paz e a segurança internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *