Discussões sobre armas nucleares e direitos humanos entre Biden e Putin

Brasil receberá 7 milhões de doses da vacina da Pfizer antecipadamente
Wilson Witzel presta depoimento breve para CPI da Covid

Discussões sobre armas nucleares e direitos humanos entre Biden e Putin

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Nesta quarta-feira (16), Vladimir Putin e Joe Biden tiveram um encontro em Genebra, na Suíça e houve elogio de ambas as partes sobre a conversa que tiveram. Porém, mesmo com toda a conversa, os dois presidentes afirmaram que tem um grau de distanciação entre eles.

Na reunião não houve convites para visitas e evitaram dialogar sobre confiança. Após a reunião os dois presidentes deram entrevistas coletivas, falaram sobre direitos humanos, armas nucleares e outros demais assuntos.

Biden falou com Putin sobre métodos para evitar a volta de ataques nucleares e descartou a ideia de que haveria uma nova Guerra Fria em desenvolvimento e que os Estados Unidos e a Rússia precisariam ser estáveis e previsíveis, mas que os americanos reagirão às ameaças, como ciberataques.

Já o presidente da Rússia afirmou que as duas potências tem responsabilidade de garantir estratégias nucleares no mundo e que o seu governo discutirá a proposta de possíveis melhorias no New Start em relação a armas nucleares.

O Novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas, New START, foi assinado desde 2010 e ele limita o número de ogivas nucleares estratégicas, mísseis e bombardeiros que as duas potências podem usar foi recentemente ampliado.

O Ex-presidente Donald Trump quando ainda estava no governo, rejeitou a proposta da Rússia que prorrogava o tratado durante mais um ano e após o mesmo sair e Biden assumir o cargo, o mesmo mostrou intenção para prorrogar.

Putin declarou que a Ucrânia também foi tema de discussão, também foi afirmado pelo presidente russo que não houve nenhuma adversidade entre ambos e que houve interesse entre os dois de se entenderem.

Houveram também discussões sobre o destino de Alexei Navalny, que foi preso por envenenamento, Putin afirma que o mesmo sabia que Navalny estava infringindo as leis do seu país, já Biden falou que o governo americano teve preocupação em relação ao tratamento dado ao opositor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *